NOTÍCIAS    |    REVISTAS    |    ED. DIGITAL    |    BLOGS    |    ASSINE JÁ    |    LIVROS
assista o vlog atual aqui
veja mais vídeos
SOBRE BLOG NOTÍCIAS ARTIGOS FOTOS VÍDEOS CURSOS TREINAMENTO/PALESTRA CONTATO

Cafú já ganhou essa parada
Na noite desta terça-feira, 28, Felipe Mojave esteve com a namorada, Carol Oliveira, em premio em Sao Paulo.

Felipe Mojave é o novo líder do MasterMinds IV
Jogador tem stack de 92 big blinds

High Roller BSOP Millions: Mojave fica em 4°.
Fernando "Grow" foi o campeao.

Conheça os integrantes do Team Mojave
Jogadores vao jogar o BSOP Millions de graça

 
veja mais notícias   
 

 

15/12/2011 23:46:24
LAPT e BPT Final durante o Carnaval?

Fala aí pessoal,

Essa semana foi anunciado no blog oficial do PokerStars conduzido pelo meu grande amigo e competente Sérgio Prado as datas finais das temporadas do LAPT (Latin American Poker Tour) e o BPT (Brasil Poker Tour).

Mais do que isso, uma série foi anunciada e criada. Seu nome: Grand Finals Carnival Poker Festival.

Aqui está o link do blog do PokerStars/SePrado com todos os detalhes sobre o festival de Poker: http://www.pokerstarsblog.la/br/2011/sao-paulo-vai-sediar-o-grand-finals-carn-089320.html

Antes de comentar sobre a inusitada data escolhida para a realização dos torneios, vou falar sobre o próprio evento.

Eu acredito que esse evento definitivamente coloca o Brasil no mapa dos grandes países do Poker. Uma série de 8 torneios que conta inclusive com torneios de Omaha e Mixed Games (espero que sejam de boa estrutura) é que a gente precisava pra se consolidar como um grande destino do Poker e referência maior na América do Sul, agora maior inclusive que Punta Del Este no Uruguay (destino clássico do Poker). Nada melhor também que seja em São Paulo, maior cidade e com a melhor capacidade de atender e ter um alto número de participantes.

Sendo assim, logo de cara, quero parabenizar todos envolvidos nessa empreitada dentro do PokerStars pela brilhante idéia da criação desse festival. E que continuem com idéias arrojadas e diferenciadas, pois o maior site de Poker do mundo ainda deixa a desejar em muitos aspectos (justamente por ser o maior).

Sobre a polêmica da data escolhida para a realização do festival, confesso que quando ouvi falar sobre essa possibilidade, não gostei muito.

Mas a grande verdade é que, mais uma vez, a organização também foi muito feliz em escolher a data para o evento. Não vejo problema algum que seja realizado durante o Carnaval.

Ah... Peraí... Você não gostou da data por que é justamente no Carnaval que é o maior feriado do Brasil, certo? Então eu acho que você deveria rever os seus conceitos.

O Carnaval na verdade é uma data arrojada para se realizar o evento, eu enxergo que há um risco, pode ser que o brasileiro resolva escolher entre a folia do que o Poker. Porém, já parou pra pensar: Tem data melhor pra realizar uma série de torneios onde todos os amantes de Poker possam participar sem se preocupar com qualquer outra coisa? Não tem! Nem desculpa vai ter.

E além de "ajudar" os amadores (quando me refiro amador digo aqueles que não vivem exclusivamente do Poker) essa é a maneira perfeita de se profissionalizar o jogo por aqui. Quero dizer que o Poker tem que começar a fazer parte do mapa no país e não fazer torneios quando não se tem nada importante no calendário.

Durante o 4 de Julho, feriado da independência dos EUA (um dos principais), sempre rola o WSOP (World Series of Poker). Mesmo assim, o Poker tem seu espaço frente aos patriotas e cidadãos americanos, pois entrou no calendário e também virou cultura.

Além disso, muitos turistas virão conhecer o Brasil com a força do Carnaval, mas na verdade vão cair na avenida do Poker. Quando eliminados (é o que acontece com a grande maioria, podem escolher entre a festa ou os torneios paralelos).

Eu já estou mais do que acostumado em trocar datas importantes sejam elas compromissos, férias, etc, tudo em prol do meu trabalho ou de algum bem-estar que eu acredite que tenha mais relevância.

O que tem mais relevância para um profissional de Poker como eu? O próprio Poker.

Sendo assim, o Carnaval vira um mero segundo plano, sem contar os milhões de brasileiros que nem de Carnaval gostam.

Ano passado, eu estava jogando a Premier League Las Vegas, show televisionado, durante o meu aniversário! O comprometimento com o meu trabalho tem que ser maior que tudo, frente a um balanceamento entre todas as coisas, obviamente.

Aqui está o vídeo em que meu ex-patrocinador (PartyPoker), reconhecendo meus esforços, veio trazer um bolo de aniversário durante o torneio, inclusive com falinhas do Mike Sexton e tudo, filmado ainda para o show de TV que foi exibido no mundo todo:



O jogador de Poker pode escolher quando tira férias e não precisa do Carnaval. O jogador amador que tem outra atividade principal também tem férias e o Carnaval não faz parte dela. Não consigo contar quantos Carnavais fora de época existem no Brasil... São muitos.

Já cancelei meu Carnaval que seria maravilhoso em Salvador, para ter uma experiência ainda mais maravilhosa que é a participação nesse festival de Poker. Pode ter certeza que eu estou chegando pra faturar alto e fazer bonito, pois 2012 além de ser um ano de crescimento e consolidação do Poker no Brasil, vai ser também um lindo ano na minha carreira com muito trabalho e realizações.

Podem me considerar o primeiro inscrito nessa série de torneios. Espero que os amantes do Poker façam o mesmo. Vamos fortalecer o que é nosso para que em seu segundo ano da série ela venha ainda maior e melhor.

Se essa série for um sucesso (e tem tudo pra ser) vou considerar como um divisor de águas no Poker do Brasil e acreditar realmente na profissionalização do jogo em mais um aspecto.

Ao invés de cair na festa popular, vamos cair na popularização da nossa festa, do nosso Poker!

Felipe Mojave Ramos

08/12/2011 16:10:46
Análise de Mão - Live Tournament - QJo


E aí galera,

Vamos analisar esta mão jogada no World Open, torneio televisionado com os melhores profissionais do mundo (invitational).

O buy-in do evento foi de US$ 10,000 e os blinds sobem a cada 21 mãos jogadas (sem tempo).

Situação:

Eu e meu adversário aqui temos um stack efetivo de 250.000 fichas nos blinds 3.000/6.000 (sem ante). Temos   42 Big Blinds cada.

Ação roda em fold e eu estou no Cut-Off com QJo. Abro raise para 15,000. O Big Blind que é um jogador muito conhecido dos cash games Europeus (Ellis Reuben) reaumenta para 35,000.

Eu decido dar flat call e jogar em posição, depois optando pelo fold no flop.

Histórico e infos:

- Tenho mais de 80% de aggression frequency durante o torneio e abrindo muitas mãos;

- Reuben vem jogando tight-aggressive e não tivemos ainda nenhum showdown relevante dele. É o primeiro torneio sendo jogado contra o mesmo;

- Estamos 7-handed e o 1o. colocado da mesa se classifica para a final e entra ITM (US$ 15,000), sendo que o segundo colocado vai para a repescagem;

- 1o. lugar leva US$ 250,000 pra casa;

Exercício:

Assista o vídeo abaixo e leve em consideração as informações básicas aqui trazidas.

Tente não levar em consideração as cartas do meu adversário e realmente tente analisar a situação por si só e seus prós e contras.

1) Com isso em mente, você acredita que eu joguei bem ou mal. Qual é a sua análise da minha jogada? O que você acha que eu estava pensando no momento para ter dado o Fold?

2) Qual teria sido a sua decisão no meu lugar e por que?

2) Se fosse você jogando desde o início da mão, como você jogaria?

Comente aqui e a melhor análise ganha $25 no PokerStars.

Obs: Tem que separar a análise em respostas por item, ou seja, 1) resposta 2) resposta 3) resposta.

30/11/2011 08:14:10
BSOP Million

E aí pessoal,

Vou blogar hoje sobre o BSOP Million, que ocorreu essa semana (7 dias de poker) e terminou na madrugada de hoje, quarta-feira (30/11).

Sobre o torneio em geral, fiquei mesmo bestificado, essa é a palavra correta. Que eu sabia que o Poker ia crescer muito, isso eu sabia, mas bater 1500 jogadores com uma inscrição de R$ 1.800 realmente foi algo sensacional. E os side events? Foi lindo de ver um torneio de Omaha, NLH 6-max e High Roller com aqueles fields.

A grande verdade é que o Brasil está despertando para o Poker agora e eu fico imaginando: O que será do ano que vem?

Agora o brasileiro tem acesso ao material de treinamento em Português, seja por livros, sites, revistas, etc, e por fim está correndo atrás pra estudar e aprender cada dia mais. Isso tudo somado aos resultados de nível mundial de grandes expoentes do nosso Poker acaba multiplicando o fator do crescimento. Não por último, mas junto com tudo isso, vem a Confederação Brasileira de Poker (CBTH) fazendo um lindo trabalho para a organização legítima e reconhecimento do nosso esporte da mente.

Parabenizo mais uma vez toda equipe do BSOP, desde a organização até os Dealers. Estão mais do que de parabéns.

Mas como sempre, tenho também as minhas críticas meramente construtivas visando melhorias para o ano que vem. Como foi tudo tão bem organizado, tenho apenas uma crítica:

Ranking

Mais uma vez, o ranking deixou a desejar e muito. O campeão de uma temporada não pode ser o campeão da maior etapa e isso é mais do que ridículo. Essa é uma bola fora enorme da organização do BSOP que sempre tem a oportunidade de melhorar e não muda. Por que essa resistência?

Eu mesmo, fiz diversas sugestões justas de rankings, baseadas no POY da CardPlayer, Bluff e WSOP, uma mistura bem interessante que premiaria o jogador mais regular e que faturasse um número alto. Não é verdade que o campeão do ranking tem que ser aquele que teve maior premiação durante a temporada, isso está muito errado. O campeão pode até ser o jogador que mais faturou durante o ano, mas não numa só etapa.

Em uma analogia bem prática, seria a mesma coisa que times de futebol disputarem o campeonato todo e na última rodada o time que ganhar melhor se torne o campeão brasileiro. Tem sentido? Não tem e é muito injusto.

Jogadores como Luciano Ferreira, com mais de uma mesa final e uma temporada de excelente participação, foram prejudicados pelo ranking, que se fosse justo, teria coroado outro jogador.

É fato de que o field tem que ter sua relevância, mas não pode determinar por si só o campeão da temporada. Existem outros fatores tão importantes quanto o tamanho do torneio, não é verdade? Pois é!

Bom, é fato também que o campeão da temporada não tem nada a ver com isso e é o legítimo campeão, por mais injusto e errado que esteja formulado o ranking, já que a regra partiu do princípio assim com a mesma condição para todos jogadores.

O que precisamos fazer pra isso mudar ano que vem, hein? De verdade, vamos acertar isso BSOP.

E agora vêm as minhas sugestões:

Stack inicial


Ainda que melhorada drasticamente a estrutura, 20k em fichas ainda não é o ideal. Precisa ser 25k ou que continue 20k com a adição de 2 blinds no início do torneio, bem como o 75-150 e o 150-300 com ante. Isso seria o ideal para um torneio multi-table.

Obviamente que eu adoraria que fosse um EPT da vida (que tem a estrutura perfeita) com 30k fichas e blinds lentos.

Não é isso que eu estou pedindo... Como eu já disse, todo torneio para mim tem que privilegiar a técnica e a habilidade e por mim todos seriam como os WPT's, mas o que eu quero dizer aqui é que precisamos de uma estrutura técnica mínima. Outra questão é a profissionalização do Poker: Se você não pode jogar porque tem que trabalhar na segunda-feira, o BSOP não é o torneio certo para você. Há muitas opções de torneios com estruturas mais rápidas pra satisfação de todos os gostos, mas o campeonato brasileiro não pode ter isso como justificativa, pois vai em desencontro com tudo que o torneio e a comunidade do Poker está se propondo a fazer.

Dinner break

Não é possível que não exista um break maior que 15 minutos o dia todo! Isso também é muito ridículo. Jogar 10 níveis de uma hora por dia com intervalo de 15 minutos a cada 2 horas é desumano. Isso tem que mudar.

Melhorar a estrutura de serviços

Os hotéis que sediam os eventos são de grandes redes, boas localizações, etc, mas não é possível que um estacionamento custe R$ 60 reais por 12 horas! Não é possível que um café ou guaraná custe R$ 6 reais. Fora isso, as opções de comida são bem poucas e isso prejudica a saúde dos jogadores que ficam sentados por horas e horas sem opções saudáveis de refeições. Isso tem que mudar.

Os pequenos detalhes não valem a pena nem comentar, fato a magnitude do evento e a excelência da organização. Parabéns!

Nota: Quando digo pequenos detalhes, me refiro a sujeira nos banheiros e sua falta de manutenção (problema mútuo, mas são muitos jogadores) e a fila enorme de inscrição/retirada do ticket de assento para os jogadores já pré-inscritos e outros detalhes.

Sobre o meu desempenho

Joguei 4 torneios durante o final de semana:

Main Event

Joguei o dia 1-A na Quinta-Feira e o meu desempenho foi simplesmente maravilhoso. Foi um dos melhores torneios que eu joguei no ano. Em nenhum momento estive em risco e pouco a pouco fui adicionando fichas ao meu stack e terminei o dia 1-A com 91 mil fichas.

Perdi 2 mãos-chave ainda e nada disso me afetou, sendo elas:

1) UTG entra de limp 400 e eu em MP com AKs faço 1400. Ele dá call e vemos o Flop A67 rainbow. Ele dá mesa e eu disparo 2200 e ele dá call. O Turn trouxe um 8 de espadas me deixando agora flush draw também. Ele aposta 6k e eu volto all in acreditando que ele estava comprometido com o pote e tinha algo como AQ ou AJ pela natureza da jogada. Meu oponente dá insta-call na volta e por um instante eu achei que estava perdendo, mas não: Ele tinha ATo! Era um pote enorme, eu com AK com um kicker melhor e flush draw, dominando meu oponente fortemente que tinha kicker T e uma broca de sequência, que obviamente não poderia ser de espadas. Um 9 de ouros no River me deu uma bela bad beat e, mesmo perdendo essa mão para sequência, continuei firme e forte no torneio.

2) Subo AK do Cut-Off e o BB dá call. O flop vem K73 e meu oponente dá check-call numa aposta de 1500 fichas. O Turn vem um J e meu oponente aplica um check-raise de 7700. Dou o call e o river vem uma Q. Meu oponente aposta 15 mil. Dei fold. Ele contou posteriormente que tinha KJ, acertando 2 pares no Turn.

No segundo dia, perdi um pote de 150k fichas num spot muito perfeito. Por que digo isso? Simplesmente porque até agora não acredito que tenha tomado esse call.

Meu oponente abre UTG1 e eu no BTN pago com QJo. A aposta foi de 4500 nos blinds 1-2k. No BB, Bruno Kawauti também dá o call. O flop vem AT8 rainbow, que me dá um double-gutter, ou seja, 2 pontas para sequência com 8 outs. Bruno check e ele aposta 5500. Eu dou o call e o Bruno também. No Turn, um 5 de copas aparece, seguindo com o bordo rainbow. Bruno dá check outra vez e meu oponente repete a aposta de 5,5k. Novamente, eu dou call e o Bruninho dá Fold. O river vem uma Q, completando uma possível sequência no river. Meu oponente dá check e eu vou all in de 75k. Meu oponente tem 50k para trás. Depois de pensar muito ele resolve dar o call e apresenta A9.

Realmente, foi um hero call no escuro. Meu range ali naquele bordo rainbow não pode ser tão grande assim e a Q é uma scary card daquelas. Pagar por todas as fichas naquele spot realmente era uma jogada ruim. Eu, que estava blefando, tinha plena noção da força da mão do meu oponente, que era de média para fraca e que o check no river foi com a clara intenção de levar a mão para o showdown (na verdade ele jogou a mão dele face-up, pra ser bem sincero). Meu oponente perde para todos os Ases, já que seu kicker é o 9. O que será que passou pela cabeça dele naquele momento?

Enfim, acredito que só tomaria call ali naquele spot no máximo em 10% das vezes. Mas ele pagou e eu fiquei short com 25k, ou seja, 12,5 blinds.

Na mesma órbita, no BB, o SB completa e eu tenho A6o. Fui all in e ele deu call com A2o. Infelizmente a mão empatou e não consegui voltar pro jogo. E ainda na mesma órbita, quando UTG1, fui all in dos mesmos 12,5 big blinds e meu oponente imediato vai all in por cima, com um stack de 75k. Temos mais 6 jogadores para atuar na esquerda e todos dão fold.

Eu acreditei que a vaca tinha ido para o brejo, mas ele abre 33 (me espantei) e eu tinha encontrado um coin flip. Par de 3? Com aquele stack? Por mais que a jogada dele seja bem terrível, eu estava flipando pela vida do meu torneio.

O flop veio lindo: QQ6 e me garantia mais alguns outs, mas o Turn 7 e o River 8 não melhoram minha mão e eu fui eliminado 2-1 para o ITM.

Fiquei bem chateado pelo modo em que perdi as minhas fichas e não é papo de perdedor, não mesmo. Foram decisões bem ruins dos oponentes contra decisões muito boas da minha parte. E é com essa consciência de ter feito um excelente trabalho que a minha chateação demorou apenas 5 minutos.

Eu que já tenho 4 mesas finais de BSOP, sendo 2 delas em São Paulo, incluindo um primeiro lugar em 2007 e um 8o. lugar esse ano mesmo (Agosto) estava esperando um resultado muito mais satisfatório.

Pot-Limit Omaha

Também acredito ter feito um torneio muito bem jogado. Fui eliminado na 29a. posição, mais uma vez 2-1 para ITM, quando o flop veio 58Tr e eu tinha 5789 para 2 pares e 2 pontas. Eu era o SB e fui all in de 12k num pote de 16k. Meu oponente, meu amigo João Marcelo, deu call com Top-Pair e Back-Door Flush-Draw (TQKA) e acabou fazendo um Full House runner-runner.

Pela quantidade de fichas envolvidas, não condeno a jogada dele, que estava bem grande no momento. A única questão é que haviam 2 jogadores em sua esquerda, o que inviabiliza o call de vez tornando-o uma jogada de certo modo bem arriscada. Obviamente, por sair all in naquele bordo, eu tinha conectado com o mesmo, já que o risco de tomar o call era muito grande.

High Roller


Neste torneio eu estava indo até que bem, apesar do sobe e desce, mas não estava jogando inspirado como os dois anteriores e deixei a desejar. Acertei um call com A-High contra o João Simão que foi uma jogada muito interessante, mas a mão que me quebrou foi mesmo muito duvidosa.

Meu oponente entra de limp de 800 e eu com 88 em MP faço 2200. Ele dá o call na volta e o flop vem T53dd. Ele dá check e eu aposto 3300. Ele paga e sai disparando no Turn que foi um 2 a aposta de 5 mil. Eu dei o call e no River um 3 que não completa o Flush aparece deixando o bordo T5323. Ele me coloca em all in e eu acreditando que possivelmente seria um blefe dei o call com 88 e ele abriu ATo. Não vou comentar a jogada do meu oponente.

6-Max


Diferentemente do High Roller onde eu joguei diversas mãos muito mal, agora eu estava caprichando bastante. Fiz um trabalho de reflexão e um exercício mental bem forte pra ir bem nesse torneio.

Acertei hero-calls e passei pelo menos 2 blefes muito insanos e tudo estava caminhando bem. Havia 4-betado na mesma mesa pelo menos 3 vezes num curto espaço de tempo ganhando todas as mãos pós-flop e fora de posição, sendo uma delas contra a Camila Kons. Extrai max-value em 2 situações, uma contra um oponente desconhecido e outra contra o Rapha Magrão (Camila e Rapha são excelentes jogadores).

Foi então que no redraw com aproximadamente 70 jogadores dos mais de 250 inscritos no torneio eu perdi uma mão-chave contra o Luiz Filipe Andrade, onde eu 3-betei pré-flop, dei check-raise no flop contra ele e mais um oponente no bordo 789 com 3 cartas de paus. Em resumo, eu tinha KTo (com o K de paus, ou seja, 2 pontas e flush draw) e não completei a minha mão no river, apesar de nunca representar KT ali, já que eu dei check no Turn e apostei uma representação de value-bet no River. Enfim, realmente seria raro ter draw na minha linha.

O MestreFilipe deu call no river com A8o que era o 3o. par, bem instantâneo. Existem mil coisas que eu não gosto na jogada dele e que não é lucrativo, mas vou citar apenas duas delas:

1) O call no meu 3-bet com A8o;

2) O call no meu check-raise no Flop com middle-pair naquele bordo drawing;

Acho que não tem muita discussão isso. Já sobre o call no River, não sei em que ele estava me colocando, já que eu jogaria mil mãos que batem a mão dele daquele modo, assim como TT, JJ bem como todas as trincas e os over-pairs que não completariam sequência.

Especificamente, eu poderia ter AK de paus (tendo flush e overs) e acredito que foi numa mão específica que ele me colocou para dar o call no River. Todas essas mãos que eu comentei que eu possivelmente teria nesse spot, com exceção do AKcc, eu aplicaria uma value-bet no river, que não foi uma blank-card não, foi uma Q.

Acredito que quem dá o call pré-flop com uma mão bastante especulativa e num check-raise no flop outra vez não estaria muito disposto a dar Fold no River. Essa é a única parte que faz sentido para mim na linha estranha dele. E já que ele está seguindo a própria linha, desse modo o call seria bem padrão, apesar da scary-card no River, levando em consideração o modo que ele jogou a mão.

Fiquei chateado nessa mão quando ele tentou usar de uma malandragem idiota. No meu check-raise no Flop, levei 8k em fichas pra frente e soltei primeiro os 3k e no mesmo movimento os 5k ao lado. Quem me conhece sabe que mantenho esse padrão há muitos anos, facilitando assim a vida do Dealer em identificar que estou aplicando um aumento, já que eu não falo o valor da aposta.

O MestreFilipe chamou meu check-raise de string bet, tentando se beneficiar na jogada para ver um Turn mais barato. Bati boca com ele, como eu nunca faço, chamei ele de malandro e que a atitude dele, além de ser baixa, era errada, pois movi todas as fichas à frente no mesmo movimento, mostrando que eu sou conhecedor das regras do jogo. Falei que se ele quisesse então que chamasse o diretor do torneio e ele se recusou, ao mesmo tempo que pagava meu check-raise.

Com aquele jeito dele engraçado veio me pedir desculpas depois e eu prontamente aceitei e está tudo certo.

Fiquei short e fui all in do UTG com 77 e achei o mesmo MestreFilipe com AA. Nós dois fizemos trinca e ele levou, obviamente.

Foi um torneio muito decente esse 6-Max e espero que seja mantido para o ano que vem na grade do BSOP. Mais um ponto pra organização.

Do mais, queria parabenizar meus parceiros Leonardo Martins e Renato Carvalho pela mesa final do Main Event, assim como meus amigos que foram campeões dos Side Events: Ariel Bahia (Omaha), Victor Sbrissa (Second Chance) e Alexandre Rivero (High Roller). Parabéns galera.

Ao grande campeão do evento principal Flávio Reis e ao vice-campeão "Guilis" um abraço e meus parabéns. Parabéns também ao meu amigo do MeBeliska Edu Sequela pelo seu aniversário nesta data.

Isso aí turma, nos vemos ano que vem no BSOP e eu vou estar pronto pra batalha, anotaí!

Grande abraço à todos,

Felipe Mojave

22/11/2011 22:51:11
Vencedores da promoção de lançamento do site

E aí galera,

Aqui está a relação de ganhadores da promoção de lançamento do meu site oficial.

Se você foi um dos felizardos, basta ir até a área de "Contato" deste site e escrever pra gente com os seus dados. Mencione no "assunto" da mensagem qual promoção você ganhou e seu nome no Twitter.

Não se esqueça, preencha todos os dados (inclusive endereço) e não se esqueça de enviar também o seu usuário da PokerStrategy para conferência (se você ainda não tem ou não completou o processo você tem o período de uma semana para finalizá-lo e estar em dia).

Ganhadores $25 extras no PokerStars (20 felizardos)



Ganhadores das 10 assinaturas da CardPlayer Brasil



Ganhadores dos 5 livros da Raise Editora - Daniel Negreanu: Power Holdem.



Parabéns a todos vencedores! Muito obrigado e sejam muito benvidos! Esse espaço é nosso.

Abraços, Felipe Mojave

19/11/2011 17:55:21
Hand-4-Hand - Vlog / Londres (parte 3) 18/11/11

Parte 3 do Vlog desta viagem, agora mostrando a fase final do torneio Nations Cup, a Copa do Mundo do Poker.

 
® www.felipemojave.com.br - Powered by Card Player Brasil - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.